sábado, 25 de novembro de 2006

Odeio-a!

O mau de uma relação (amorosa) é que existem posteriormente à nossa chegada os amigos. neste caso, a amiga. Embirrei com ela desde o primeiro momento, nem lhe dei uma oportunidade mas já sabes que sou assim...tenho um sentido (não o sexto) que não me deixa gostar nem dar primeiras oportunidades a algumas pessoas. Coisas minhas, bem cá do fundo da alma e do coração. Mas não gosto dela e como já te disse que faço questão de não gostar. Porquê? Porque te rouba de mim. Porque demonstras uma enorme ansiedade em vê-la e não demonstras tanta vontade e saudade quando não me vês a mim, ou quando venho uma semana "à terra" visitar a minha família. Odeio-a simplesmente porque lhe dás a ela algo que nunca me vais dar a mim. Porque eu sou apenas a namorada, a que faz birras, a que paga pelo passado, a que pensa demasiado no futuro. Ela não, ela não te faz zangar nem perder a cabeça... Ela é perfeita.
Mas quando não estás bem e até aceitas companhia...sou eu que estou lá!

Ainda agora saiste com ela e não me disseste nada. Estranhamente ou não, como estavas muito calado e já algum tempo que não respondias aos meus sms's, resolvi mandar-te a perguntar se ias sair. Alguns minutos depois respondes "vou tomar café com a tua arqui inimiga". Como é que eu adivinhei? E depois ainda ficas zangado comigo por eu dizer que já sabia e que fico triste por me omitires isso.
Nunca te vou pedir que escolhas uma de nós porque além de saber que isso não se faz a ninguém sei bem qual seria a escolha, o que me leva a levantar algumas (grandes) questões quanto aos teus sentimentos. O amor não devia ter momentos destes. O amor é na verdade um grande engano. É verdade que trás muitos momentos bons, de pura felicidade e perfeição, mas também trás muitos momentos de tristeza, dor e desilusão.

Odeio-a simplesmente porque põe o nosso amor em risco...todos os dias (e tem ela namorado, que seria se não tivesse?!).