segunda-feira, 9 de abril de 2007

Boa acção da Páscoa...

Temos no serviço uma Sra. que no decorrer de uma paragem respiratória no mês de Dezembro de 2006 (altura em que foi internada no SMI - Serviço de Medicina Intensiva do HSM), foi ventilada, tendo-lhe posteriormente sido colocada uma Traqueotomia. Desde Janeiro que fazem tentativa de desmame da Traqueotomia mas sem sucesso. Tem-se mantido sempre internada, e com infecções respiratórias frequentes.
Há cerca de 1 mês quando foi transferida para o meu serviço, numa tarde em que cuidava dele, entrou em FA com RVR (Fibrilhação Auricular com Resposta Ventricular Rápida). Como o serviço não tinha sequer um monitor para vigiar a doente, esta foi transferida novamente para a Medicina de origem.
Regressou há duas semanas com uma infecção respiratória por Acinetobacter multiresistente, para um quarto "isolado" (aquele isolamento que nós sabemos!).
Na quinta-feira passada, estava eu a fazer Tarde/Noite. O Chefe deixou amêndoas.
Esta Sra. é uma doente muito debilitada fisicamente que, curiosamente, não se encontra a realizar qualquer tipo de Fisioterapia. Necessita de ajuda total em todas as AVD's (Actividades de Vida Diária). Alimenta-se muito mal. Normalmente só come a sopa e, na maioria das vezes, não a come toda. Auxiliei-a durante o jantar, dando-lhe à boca a sopa. No fim, perguntei-lhe se gostava de doces. Ela lá me disse com dificuldade, como sempre sucede quando tenta comunicar uma vez que a Cânula é não fenestrada e portanto temos que ler os lábios dela. Disse-me que sim, que gostava de doces. Perguntei-lhe se a última vez que tinha sentido o sabor de um doce tinha sido no Natal, já que esse tinha sido o último dia que tinha passado com a família. Respondeu-me que sim. Lembrei-me das amêndoas do Chefe. Perguntei-lhe se gostava. Sim. Fui buscar. Deixei-a saborear a amêndoa. Fiquei perto dela no caso de se engasgar. Correu tudo bem e no fim li nos seus lábios: MUITO OBRIGADA!
Os tempos da enfermagem são maus. Os tempos de profissional no HSM são maus. Mas enquanto houver pessoas para cuidar, vale sempre a pena mais um turno.

3 comentários:

Ena Rot disse...

Só para te dizer, ao ler o que escrevestes pensei, quando for a minha vez de estar na "camita" seria bom ter a SM por perto.
Bem Hajas

Viver Um Novo Fim disse...

É sempre compensador encontrar amendoas como estas no dia de Páascoa,.
A satisfação de teres feito algo que fez alguém feliz!...
Foste até ao cuidado mais humanizado.
Parabéns pela tua sensibilidade, pela tua extrema preocupação em prestares cuidados de qualidade, facilitando assim a qualidade de vida desta paciente.
Só um conselho... mantém sempre uma relação de empatia,"és enfermeira" aquela pessoa que cuida.
Muitas vezes entramos por necessidade ...ou por qualquer outro motivo , numa relação familiar, e isso pode-nos prejudicar.
Devemos ter sempre presente quem somos."Enfermeiros" que cuidam".
Uma Pascoa feliz para ti e vejo que estás no caminho de uma eficiente enfermeira, humana e técnicamente falando

O-ren Ishii disse...

apesar dos tempos das vacas magras estarem para ficarem,a verdadeira enfermagem mostra-se nos pequenos pormenores!!! :)