quarta-feira, 17 de outubro de 2007

No fim o abraço e o sorriso chegam...

Os nossos velhinhos são fonte de confusão, desorientação, agressividade, loucura... mas também o são de sorriso, ternura e agradecimento.
O Sr. J, um velhinho muito velhinho, deu entrada no nosso serviço por desidratação e prostração (o que é algo perfeitamente normal para um serviço de Medicina). Muito emagrecido, desidratado; muito agitado. Houve necessidade de ENG devido à recusa alimentar, colocar umas luvas de boxe para prevenir a exteriorização do acesso venoso periférico e da SNG, mas também a imobilização ao leito para prevenir a fuga. Apesar de este ser um procedimento muito frequente, não gosto de o executar, principalmente porque contribui para aumentar a desorientação e agitação, mas infelizmente é um mal necessário. A família foi desde o início muito compreensiva com a necessidade de tais medidas, até porque em casa havia a mesma necessidade de contenção física.
O Sr. J estava afásico devido a um AVC de há vários meses, mas não o impedia de tentar comunicar, só o impedia que nós o compreendessemos.
Logo no meu primeiro turno (fazia eu tarde e noite) decidimos no fim do turno da tarde contactar a urgência interna porque ao longo da tarde o olho direito tinha apresentado um derrame que estava a aumentar. Após contacto com a Oftalmologia lá fui eu com o AAM à Urgência de Oftalmologia ver o olho do velhinho e fui-lhe contando o que íamos fazer para ver se não se assustava tanto (já que a cara de terror dele era evidente). Lá voltamos nós com os colírios da praxe, mas deram resultado porque passados uns dias os olho já estava bom.
O Sr. J era um dos famosos "apalpadores acidentais"; aquando do banho na cama, alternância de decúbito ou simples mudança de fralda, o que viesse à mão era agarrado. Levei uns grandes beliscões da mão sem luva de boxe à custa disso mas já faz parte.
No fim de semana passado nas minhas manhãs lembrei-me de tentar alimentá-lo oralmente já que já estava mais desperto, mas mantendo a alimentação entérica para maior suporte nutricional. Adorou a papa! Parecia uma criança cheia de fome sempre de boca aberta à espera da próxima colherada!
Teve alta ontem. No turno da manhã fez levante para o cadeirão e lá ficou para o turno da tarde à espera da ambulância de transporte.
Quando entrei na enfermaria ficou excitadíssimo a tentar que eu lhe desse atenção e olhasse para ele. Aproximei-me dele e disse-lhe que ia para casa. Mostrou-me um enorme sorriso e agarrou-me uma mão e beijou-a. Só consegui sorrir-lhe e fazer-lhe uma festinha na cabeça. Passou o tempo de espera pelo transporte a sorrir e a bater palmas.
Quando o transporte chegou colocámo-lo na maca e quando o bombeiro o ia prender com as correias para não cair abraçou-me e foi difícil conseguir que me largasse. Ao sair pela porta ficamos a observá-lo e a dizer-lhe adeus e ele a tentar sair da maca!
Os velhinhos são mesmo assim. Agradecidos à sua maneira.
E eu fui agradecida com um beijo na mão e um abraço grande. :)

4 comentários:

Nursy disse...

:) Felizmente há casos assim... em que os vemos ir de desorientados, desidratados, completamente dependentes...para pessoas mais calmas, mais capacitadas e que podem, finalmente ir para a sua casa (ou lar)... sabe bem... :) Beijo

Maria da Luz disse...

O nosso mundo de idosos é verdadeiramente carente de carinho e reconhecimento...
Muitas vezes pensamos que o idoso está desorientado, mas está apenas um pouquinho ausente, mas se sente em confiança fica calmo tranquilo, mais fácil de cuidar, a nós de procurarmos estratégias para cuidar com mais qualidade.
Linda história, gostei.

Aninhas disse...

Que bonito :) Quando/se for enfermeira espero tb receber mts beijos nas mãos e abracinhos dos nossos velhinhos.

be disse...

夢世界,
華麗幻想,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗幻想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗幻想,
夢世界,